9.10.2019—2.2.2020
SESC 24 DE MAIO,
SÃO PAULO PT EN

PT EN

Mônica Nador

Mônica Nador

1955 | Ribeirão Preto-SP, Brasil | Vive em São Paulo-SP, Brasil

Artista visual. Formada em artes plásticas pela FAAP e mestra pela ECA-USP. Em 2004, fundou o Jardim Miriam Arte Clube (JAMAC), em São Paulo, espaço cultural onde mora e desenvolve seus trabalhos de forma integrada à comunidade. Entre suas principais exposições, estão as bienais de São Paulo (1993 e 2006), Havana (2000), Sydney (2004), Gwangju, Coreia do Sul (2012) e Lubumbashi, República Democrática do Congo (2015), entre outras.

 


Imagens de Makwatcha

Imagens de Makwatcha

2014-2019 | Instalação

 

Há uma tradição de pinturas de murais em Makwatcha, cidade próxima de Lubumbashi, na República Democrática do Congo. Elas são feitas por mulheres, com pigmentos naturais desenvolvidos localmente. Convidada para participar da 4ª Bienal de Lubumbashi, a artista propôs para a comunidade um trabalho similar ao que desenvolve no Jardim Miriam Arte Clube (JAMAC), em São Paulo, com foco na formação e geração de renda por meio da cultura. As estampas que compõem a obra são resultado dessa parceria, registrada pelo fotógrafo congolês Georges Senga.

Dando Bandeira

Dando Bandeira

2019 | Instalação composta de bandeiras em tecido

 

Rostos de mulheres fundamentais para a história latino-americana são estampados em bandeiras espalhadas pelo espaço. A instalação é um exercício de visibilidade e memória dessas mulheres, e tem o objetivo de reconhecer presenças excluídas de uma gramática colonial que constitui imagens supostamente neutras e universalizantes do mundo, mas que é apenas vinculada à construção de monumentos brancos, masculinos, cisgêneros, heterossexuais e hegemônicos.

TOPO