Andrés Denegri

Andrés Denegri

1975 | Buenos Aires, Argentina

Vive em Buenos Aires

É artista visual graduado em cinema pela Universidad del Cine e atualmente professor de artes visuais pela Universidad Nacional de las Artes e de artes eletrônicas pela Universidad Nacional de Tres de Febrero (UNTREF). Em sua prática, tensiona os usos clássicos das linguagens do cinema, vídeo, instalação e fotografia, abordando-os poeticamente e conceitualmente. Sua pesquisa com material de arquivo resulta em obras onde os dispositivos e a tecnologia da memória se transformam em uma alegoria dos processos de esquecimento e negação da história. Teve individuais recentes no CRUCE, Espanha (2022); na Plattform, Alemanha (2019); e esteve em coletivas como a 15ª Bienal de Artes Mediales, Chile (2021); e a mostra Canciones para una revolución, Espanha (2019). Vive em Buenos Aires.

Aula Magna (16mm²∞)

Aula Magna (16mm²∞), 2013-2020

Instalação

Ao contrário do que sugere o título, Aula magna é uma composição minimalista, formada por dois projetores 16 mm dispostos lado a lado. Os filmes retratam a despedida do artista de um ambiente que lhe é caro, através da variação da luz, recortada pela janela da sala de sua casa, e seus reflexos no piso de assoalho. Frases entrecortadas, fragmentos de diálogos, gargalhadas, o som do trânsito na avenida, o bater de copos são sons que surgem de gravações diretas feitas durante reuniões no mesmo espaço e que compõem os áudios de cada um dos dois filmes que se sobrepõem. Nessa composição que desagrega o ambiente, formas piscam descontínuas, em um movimento intermitente gerado pelos cortes da edição coordenados com o som e por corpos que passam na contraluz, provocando um efeito de flickering que cita os filmes do cinema estrutural dos anos 1960 e 1970. A luz desborda, assim, da sala do apartamento para a sala expositiva, conduzindo sutilmente os espectadores a perceber os efeitos da experiência do cinema no espaço ao redor da tela.